Mensagem 2017

Aos amigos e leitores deste blog encaminho esta mensagem, coletada no grande Fernando Sabino. Dedico-a, especialmente,aos que estão envelhecendo (como eu…), para os que já envelheceram, para os que ainda vão envelhecer e, principalmente, para os que pensam que NUNCA irão envelhecer…  <<PARA encerrar o ano não há como não transcrever na íntegra esse poema (ou…

Deixem Drummond descansar…

Todo mundo conhece a indisposição que Carlos Drummond de Andrade demonstrou, ao longo de toda sua vida, em relação à exposição de suas questões pessoais na mídia. De certa feira, ele chegou a declarar ao Pasquim, ainda nos anos 70, que realmente não via graça nenhuma em dar entrevistas, visto que sua vida já era…

Incêndio nos Veadeiros: até quando?

Eu, como ocupante do Sítio Macaúbas do Moinho, fiquei aliviado de não ter sido atingido pelo fogo recente, que destruiu quase a terça parte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, entre outubro e novembro de 2017. As chamas passaram relativamente longe do nosso Povoado do Moinho, com exceção de uma pequena parte da estrada…

O Camicego

Crianças na literatura, literatura sobre crianças, literatura para crianças. A associação dos dois termos, ou seja, da infância e da literatura é por demais vasta e me falece a competência necessária para tratar disso aqui. Fico com uma definição que se tornou clássica, que narro a seguir. Alice Dayrell Caldeira Brant, que escreveu sob o…

Farewell, Facebook

Por que estou abandonando o Facebook? Há cinco anos finalmente cedi e aderi ao que já era rotina entre boa parte das pessoas com quem me relacionava: abri uma conta no Facebook. Minha relutância, que tinha durado alguns anos, basicamente era ligada a certa implicância com o uso, a meu ver indevido, da palavra “amigo”,…

De racismo e histeria…

Coisa boa quando a gente encontra na imprensa algo de que possa dizer imediatamente: mas é justamente assim que eu penso! Foi justamente isso que me trouxe o texto de Mariliz Pereira Jorge, na FSP do dia 12 de outubro de 2017, no qual a autora deplora aquela “tendência de as pessoas acharem que tudo…

Que país é este?

<<Aqui não importa fazer o mal ou o bem: o pecado que nós nunca perdoamos é simplesmente o de ‘fazer’. Somos antigos, muito antigos. Faz séculos que carregamos o peso de coisas vindas de fora, já completas e aperfeiçoadas, nenhuma delas germinada de nós mesmos, à qual tenhamos dado afinação. Há muitos e muitos anos…