Que país é este?

<<Aqui não importa fazer o mal ou o bem: o pecado que nós nunca perdoamos é simplesmente o de ‘fazer’. Somos antigos, muito antigos. Faz séculos que carregamos o peso de coisas vindas de fora, já completas e aperfeiçoadas, nenhuma delas germinada de nós mesmos, à qual tenhamos dado afinação. Há muitos e muitos anos…

Vaga, lembrança…

“Casuística” é palavra muito apreciada pelos médicos. Quando querem demonstrar sabedoria e, principalmente, exibir uma trajetória profissional marcada pela experiência, inflam o peito e logo proferem uma frase manjada: pois na minha casuística…

Do mato e seus perigos…

Meu grande amigo Mauro Márcio de Oliveira faz o favor de preparar e me mandar um guia para os eventuais visitantes de sua Fazendinha Arvoredo, lembrando, de início que “visitar a roça pode ser um passatempo inesquecível para quem mora na cidade e, ainda mais, em apartamento. A imagem idílica do campo atrai muitas pessoas,…

Carta a um amigo que (ainda) acredita no SUS

Para início de conversa: o amigo em foco é Nelson Rodrigues dos Santos, o Nelsão, eminente sanitarista, herói das lutas democráticas e sanitárias no Brasil. “Ainda” não é usado aqui com alguma carga pejorativa, mas apenas para falar de um SUS que não é este que está aí, com se verá adiante. Amigo Nelsão, agradeço…

Fazer um traçado…

Eu já conhecia o casal das ruas da vila; da porta de minha casa, inclusive. Via-os sempre com a carroça puxada por um burro magérrimo, mas valente. Traziam de alguma rocinha por perto, onde provavelmente também moravam, alguns poucos produtos para vender na rua: mandioca, bananas de vez, taiobas, batata doce e o mais disputado:…

Lavoura Arcaica e ideologia prosaica…

Raduan, Raduan Você lembrado pra sempre E ele, só até amanhã.   Lavoura Arcaica: obra prima Para quem vira a casaca Não há perdão, só rima.   Um Copo de Cólera, pura arte Um tonel de rancor Faz parte.   Um como Raduar escreve para durar Outros, como o tal Freire São pó, sujeira no…

De bullying e bola

Na minha geração, esta patologia atual a que chamam bullying já existia, embora com outros nomes, mas certamente acontecia bem menos do que agora. Aliás, esta nem era uma palavra conhecida. Para as crianças do Rio de Janeiro, talvez parecesse designar o jogo que chamávamos, em Minas, de bola de gude, que os cariocas chamavam…