Eu e o Conasems: 30 anos depois

Em 1987, fui escolhido, em Congresso de Secretários Municipais de Saúde realizado em Londrina, como vice coordenador (mas titular na prática) da comissão que organizou a entidade nacional de tal categoria, o Conasems, criado oficialmente um ano depois, no congresso de Olinda. Fui também o primeiro vice presidente da entidade, mas mais uma vez, na prática, fiz as vezes de presidente, pois o sujeito que foi eleito no evento,  já se candidatara sabendo que não ficaria muito tempo no cargo de secretário, candidato que era a vereador em Recife. Mas tudo bem, isso não está contado nas crônicas oficiais da história do Conasems… Recupero aqui um pouco da história que eu vivi.
Continuar lendo “Eu e o Conasems: 30 anos depois”

Anúncios

Epitáfios perfeitos

CONYGrande Cony, que nos deixou nos primeiros dias de 2018 – ano que já começou mal… Entre suas grandes contribuições literárias está este hino ao pessimismo, “Se eu morrer amanhã”, do qual faço também palavras minhas, in totum. Eu faria dele meu epitáfio! Continuar lendo “Epitáfios perfeitos”

Incêndio nos Veadeiros: até quando?

Eu, como ocupante do Sítio Macaúbas do Moinho, fiquei aliviado de não ter sido atingido pelo fogo recente, que destruiu quase a terça parte do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, entre outubro e novembro de 2017. As chamas passaram relativamente longe do nosso Povoado do Moinho, com exceção de uma pequena parte da estrada que liga a comunidade à cidade de Alto Paraiso. Mas … Continuar lendo Incêndio nos Veadeiros: até quando?

Farewell, Facebook

Por que estou abandonando o Facebook? Há cinco anos finalmente cedi e aderi ao que já era rotina entre boa parte das pessoas com quem me relacionava: abri uma conta no Facebook. Minha relutância, que tinha durado alguns anos, basicamente era ligada a certa implicância com o uso, a meu ver indevido, da palavra “amigo”, totalmente vulgarizada quando aplicada a qualquer pessoa, desconhecida ou não, … Continuar lendo Farewell, Facebook

De racismo e histeria…

HISTERIACoisa boa quando a gente encontra na imprensa algo de que possa dizer imediatamente: mas é justamente assim que eu penso! Foi justamente isso que me trouxe o texto de Mariliz Pereira Jorge, na FSP do dia 12 de outubro de 2017, no qual a autora deplora aquela “tendência de as pessoas acharem que tudo é racismo, machismo, pedofilia, que tudo com o que não concordamos ou não entendemos deve ser repudiado, só faz com que os verdadeiros problemas se percam em discussões fúteis”. Isso valeria para propagandas na mídia e pelados em museus. E ela acrescenta, sabiamente: “enquanto isso, jovens negros continuam morrendo mundo afora, crianças são violentadas dentro de suas próprias casas”. Continuar lendo “De racismo e histeria…”

Jeanne, a Francesa

Morreu Jeanne Moureau. Esta fez parte e vai fazer para sempre de minha memória cinematográfica, visual, amorosa… Dizer que eu a admirei é pouco. Não que tenha visto muitos filmes dela. Só Jules et Jim me bastaria. Em Joanna a Francesa, brasileiríssimo, dirigido por Cacá Diegues, com música de Chico Buarque, ela mais uma vez brilha, espantosamente bela, mesmo já quarentona. Aliás, por que será … Continuar lendo Jeanne, a Francesa