Angelo Barbosa Monteiro Machado: in memorian

Hoje, seis de abril de 2020, a internet me trouxe a notícia: morreu Angelim. Quem passou pela Faculdade de Medicina ou pelo Instituto de Ciências Biológicas da UFMG, a partir dos anos 60, sabe muito bem de quem falo. Impossível esquecer do criador do Show Medicina; do professor de inesgotável conhecimento; do cientista cujo conhecimento ia da glândula pineal às libélulas, do cerebelo humano à ecologia do cerrado; do inventor de histórias; do impagável frasista; do destacado ambientalista; do escritor inspirado. Muitos personagens, muitos mesmo, em uma só pessoa. Tinha raízes mineiras tão profundas como a Mina de Morro Velho, mas parece nunca ter feito muita questão delas. Aníbal, Cristiano e Lucas (Machado) eram seus tios, Maria Clara sua prima, cada um com sua marca indelével: na literatura, na política, na medicina e no teatro. Ele tinha um pouco de tudo isso e mais alguma coisa. Fui seu aluno em 1967, depois o vi poucas vezes, mas notícias dele sempre me chegavam, pessoa querida, múltipla, generosa e iluminada que era. Deixou inúmeras histórias saborosas, que contava com gosto e a cada vez aumentando um ponto. Conto duas delas aqui. Mas a lenda que deixa é ainda maior… Continuar lendo “Angelo Barbosa Monteiro Machado: in memorian”