Deixem Drummond descansar…

DRUMMONDS.jpgTodo mundo conhece a indisposição que Carlos Drummond de Andrade demonstrou, ao longo de toda sua vida, em relação à exposição de suas questões pessoais na mídia. De certa feira, ele chegou a declarar ao Pasquim, ainda nos anos 70, que realmente não via graça nenhuma em dar entrevistas, visto que sua vida já era suficientemente contada e detalhada nas centenas ou talvez milhares de poemas e crônicas que tinha escrito, tudo extensivamente público e notório desde sempre. Continuar lendo “Deixem Drummond descansar…”

Anúncios

Drummond antecipa a tragédia de Mariana

MARIANAEm um poema de 1938 Carlos Drummond de Andrade levanta a possibilidade de que, para resolver os problemas de um “mundo caduco” talvez fosse o caso de “dinamitar a ilha de Manhattan”. Alguns veem nisso uma antecipação do 11 de setembro. Mas com “Os bens e o sangue”, de 1951, não seria bem o caso de uma antecipação profética do que ocorreu em Mariana? Espiem: “E virá a companhia inglesa e por sua vez comprará tudo / e por sua vez perderá tudo e tudo volverá a nada / e secado o ouro escorrerá ferro, e secos morros de ferro / taparão o vale sinistro onde não mais haverá privilégios…” /

Leia os dois poemas na íntegra a seguir

Continuar lendo “Drummond antecipa a tragédia de Mariana”